sábado, 8 de outubro de 2011

Apresentação

Eu sou quem só se ver poucas vezes
Eu sou aquela que na maioria se ver ao longe
Nunca de tão perto
Dizem que sou negra
Mas minha cor na verdade é cinza
Caminho sempre sozinha
Mas eu posso caminhar sozinho e ser masculino
Eu sou aquela que ninguém deseja
Sou temerosa
Rejeitada
Meus olhos podem parecer assustadores
Pura fantasia!
Meus olhos são serenos
Posso olhar com profundidade
E eles acabam com o sofrimento alheio
Quando eu chegar não tenha medo de mim
Chegarei tranquilamente
Quando eu chegar deixe que me aproxime de você
Do seu ouvido
Quando eu chegar
Ouça a minha voz
Porque eu te direi que sou a Morte!















Tinho Valério

2 comentários:

  1. Adorei, amigo!

    Você já tinha me mostrado esse? Se não, então eu tive um deja vu.

    ResponderExcluir
  2. arrepiei.. assim como a primeira vez que eu o li!

    ResponderExcluir